Vítor Raposo diz que “o Prémio Carreira não é um fim”

  •  
  •  
  •  

Vítor Raposo, distinguido com o Prémio Carreira no 40.º Congresso da Associação Portuguesa de Técnicos de Natação, afirma que “não é um fim”, mas sim “o reconhecimento do que foi feito, mas também na perspetiva de que o adquirido possa continuar disponível Lpara quem pretender receber”, escreve na sua página do Facebook.

“O Prémio Carreira que recebi como reconhecimento da APTN (Associação Portuguesa de Técnicos de Natação) fez-me pensar – de resto como sempre – e levou-me ao princípio, onde provavelmente tudo começou. Num flash de segundos, ou minutos, em cadeia constante e à velocidade da luz, passaram-me pela mente recordações inolvidáveis de tantos momentos agradáveis”, lê-se na publicação do homenageado.

“Mas Prémio Carreira, digo-o com humildade mas com muito orgulho, é muito mais do que aparentemente possa significar para alguns. Não é como ser Treinador do Ano, com a efemeridade que encerra, ainda que com valor absoluto de alto significado. Também não sei se será uma outra forma de dizer que devo apostar noutras andanças, noutros meios de intervenção, noutras formas de colocar o conhecimento adquirido em prol da modalidade (o que até está a acontecer como Presidente da ANC) e deixar o cais da piscina para os mais jovens. Não estou preocupado com essas manifestações momentâneas de pensamento. Faço pela modalidade que em tenra idade escolhi o que sempre fiz: com paixão, com aprendizagem contínua, com convicção e com espírito de solidariedade e partilha”, refere Vítor Raposo, que dirige atualmente a Associação de Natação de Coimbra.

“No momento do recebimento deste prémio, nas curtas palavras de agradecimento que proferi, não me esqueci dos mestres com quem aprendi, dos colegas com quem partilhei, dos clubes onde trabalhei, da família (sempre um pouco esquecida mas que é parte integrante de qualquer sucesso, a qualquer nível e onde que que seja) e especialmente dos nadadores que comigo trabalharam. Mas ser homenageado no 40º Congresso da APTN, quando fazia precisamente 40 anos de atividade profissional, levou-me o pensamento para as primeiras Jornadas Técnicas de Natação realizadas em Coimbra, onde já fazia parte da Comissão Organizadora com outras figuras proeminentes da natação nacional”, recorda o técnico.

É um orgulho, mas simultaneamente um acréscimo de responsabilidade. Um Prémio Carreira não é um fim. É o reconhecimento do que foi feito, mas também na perspetiva de que o adquirido possa continuar disponível para quem pretender receber. É assim que penso. Bolas! Ainda só tenho 58 anos… obrigado a todos”, conclui Vítor Raposo.

O Congresso da APTN realizou-se no último fim de semana em Gondomar.

Foto: Facebook da Associação de Natação de Coimbra

Mais de 10 mil leitores não dispensam o Chlorus.
Fazer jornalismo de Natação tem um custo e por isso
precisamos de si para continuar a trabalhar e fazer melhor.
Torne-se nosso assinante por apenas 12€ por ano e
tenha acesso a todos os conteúdos Premium.



Comentários