O Show de Ana Catarina Monteiro!

  •  
  •  
  •  

Na manhã de segunda-feira cumpriu-se o 4º dia de eliminatórias do campeonato Europeu, com Miguel Nascimento a ser o primeiro nadador luso a competir. Nos 200 livres viria a conseguir conquistar um novo recorde pessoal com o tempo de 1.49.90 correspondente ao 31º lugar.

Na prova seguinte, os 200 Bruços femininos, participaram duas nadadores portuguesas. Raquel Pereira na segunda série viria a nadar acima do seu recorde pessoal obtendo a marca de 2.30.05 correspondente ao 20º lugar geral. Já Viktoria Kaminskaya, depois de uma prova menos conseguida nos 400 estilos, demonstrou verdadeira fibra de campeã ao terminar em 7º lugar nas eliminatórias estabelecendo um novo recorde nacional com o tempo de 2.27.34. Esta marca permitiu-lhe o apuramento para a meia-final a disputar-se durante a tarde.

A participação portuguesa nas eliminatórias terminaria ainda com dois resultados de top-10 nos 1500 livres femininos. Diana Durães terminou em 9º lugar com o tempo 16.36.03, acima do seu recorde nacional que lhe daria acesso à final. Já Tamila Holub terminou a distância em 16.25.29 obtendo a 7ª posição garantindo assim a 3ª final portuguesa destes campeonatos. Tamila, que foi campeã da europa de juniores nesta prova em 2016, disputará a final na tarde de terça-feira, tentando chegar perto do recorde nacional de Diana.

A sessão da tarde começou com a final dos 200 mariposa femininos onde Ana Monteiro tinha entrado com o 8º tempo. Numa prova em que ainda nos fez sonhar com uma medalha, a nadadora lusa saiu com muita coragem e determinação estando à viragem para os últimos 50 metros na 2ª posição! Os 2.08.03 com que conseguiu parar o cronómetro não foram suficientes para conquistar o bronze que ficou apenas a 4 décimos de distância. Ainda assim, esta marca permitiu à atleta portuguesa a obtenção de um novo recorde nacional na prova e respetivo 5º lugar geral, a melhor classificação portuguesa de sempre, no que diz respeito às mulheres, em campeonatos da Europa absolutos.

Aos 25 anos, Ana Monteiro é um verdadeiro caso de perseverança na natação portuguesa, e um exemplo para todos os nadadores. Em 2016 deu um salto qualitativo enorme com obtenção de mínimos de participação para os jogos olímpicos do Rio de Janeiro, mas sofreu o enorme desgosto de não poder participar por limite de quota de atletas. A este percalço juntou-se uma lesão grave no ombro que a obrigou a uma intervenção cirúrgica. Não sendo fácil recuperar destas duas situações, a nadadora voltou mais forte esta época batendo por diversas vezes o recorde nacional dos 200 mariposa tanto em piscina curta como em piscina longa. Hoje [Ontem] o seu resultado histórico provou que é a melhor e mais em forma nadadora portuguesa da atualidade. Ainda vai participar nos 50 mariposa, prova que não é a sua especialidade, mas onde poderá aproximar-se do recorde nacional, tendo no entanto já fechado com chave de ouro uma época para qual não existem adjetivos positivos suficientes para a descrever.

Na meia-final dos 200 bruços, Viktoria Kamiskaya ficou a cerca de 3 décimos de segundo do apuramento para final terminando na 11ª posição com o tempo de 2.27.19 estabelecendo novo recorde nacional pela segunda vez neste dia.

A última participação lusa do dia esteve a cargo de Alexis Santos na final dos 200 estilos, prova em que defendia a medalha de bronze conquistada no europeu de há dois anos. Alexis terminou em 1.59.99, mais uma vez com um registo abaixo dos 2 minutos, mas acima do seu recorde nacional e do tempo que tinha feito na meia-final. Com este tempo manteve a 7ª posição, numa prova ganha pelo suíço Desplanches em 1.57.03, sendo que os 3 primeiros fizeram melhor que a marca necessária para levar o ouro em 2016, relegando o campeão em título para o 5º lugar.

Nos destaques internacionais um dos nomes deste campeonato, o russo Kolesnikov, adicionou mais um ouro à sua coleção, desta vez nos 100 costas com 52.53 que é também um novo recorde mundial júnior.

A francesa Charlotte Bonnet venceu e convenceu nos 200 livres com novo recorde de campeonato terminando com o tempo de 1.54.95.

O russo Chupkov não teve concorrência à altura e juntou ao bronze olímpico e ao ouro mundial do ano passado, o titulo europeu dos 200 bruços com direito a novo recorde do velho continente. A nova marca continental é assim de 2.06.80 muito próxima do recorde mundial de 2.06.67, pertença de Ippei Watanabe.

A ultima final do dia terminou como havia terminado o dia de ontem, ou seja, com a vitória da seleção da casa, desta feita nos 4 x100 estilos mistos. O quarteto composto por Georgia Davies, Adam Peaty, James Guy e Freya Anderson viria mesmo a estabelecer um novo recorde europeu com a fantástica marca de 3.40.18

Mais de 10 mil leitores não dispensam o Chlorus.
Fazer jornalismo de Natação tem um custo e por isso
precisamos de si para continuar a trabalhar e fazer melhor.
Torne-se nosso assinante por apenas 12€ por ano e
tenha acesso a todos os conteúdos Premium.



Comentários