Números do campeonato nacional da 1.ª divisão – Parte I

  •  
  •  
  •  

No passado dia 7 de abril terminou a 1ª fase do campeonato nacional da 1ª divisão masculina. Como já vem sendo habitual, publico os números gerais do mesmo e a comparação com as últimas 2 épocas. Esta exposição será dividida em 3 partes. Hoje ficam os números gerais, a 2ª parte será com os dados dos clubes e a 3ª parte é uma análise diferente às situações de superioridades/inferioridades numéricas temporárias.

Nesta época existiu um número superior de jogos com resultados equilibrados relativamente a 2016/17. Dos 72 jogos disputados, 31% terminaram empatados, com 1 ou 2 golos de diferença entre o vencedor e o vencido. Na época passada este número foi de apenas 20%. Os jogos com uma diferença superior a 5 golos também sofreram uma diminuição de 9 pontos percentuais.

Tabela I

Este maior equilíbrio entre as equipas não se traduziu nos golos obtidos em cada jogo. Aliás, desde que venho analisando o campeonato (3 épocas), a diferença é praticamente residual, com apenas 0,7 golos de diferença por jogo.

Resultados mais incertos provocaram um aumento de expulsões temporárias por jogo. No entanto, a eficácia das superioridades/numéricas diminuiu de 38% em 2016/17 para 33,9% em 2017/18.

Tabela II

O peso dos golos obtidos/sofrido em superioridades/inferioridades relativamente aos golos totais foi praticamente igual nas 3 últimas épocas. Um registo interessante…

Jogos mais equilibrados provocam diferenças significativas nas eficácias entre a 1ª e a 2ª parte?

Observando a tabela III, praticamente não existe variação no número de golos entre partes. Já o número de superioridades/numéricas aumenta um pouco, mas a eficácia nesta situação concreta de jogo diminui 5%. Será de considerar normal esta oscilação? Estes valores sofreram variações muito idênticas nas 2 últimas épocas.

Tabela III

O peso dos golos marcados em “6×5” é igual entre partes, fugindo ao verificado nas épocas anteriores.

No próximo artigo vou colocar os números de cada clube. Posso adiantar uma curiosidade. Pela primeira vez uma equipa ultrapassou a barreira dos 50 % de eficácia em superioridade numérica. Mas foram batidos mais alguns recordes.

NOTAS:

– Infelizmente eu perdi os dados das diferenças de resultados na época 2015/16;

– Estes valores foram unicamente obtidos através das atas de jogo;

– Considero golo nas superioridades numéricas até aos 24 segundos e não os “tradicionais” 20 segundos efetivos. No artigo “Números do campeonato nacional da 1ª divisão – Parte III” demonstro o motivo.

Mais de 10 mil leitores não dispensam o Chlorus.
Fazer jornalismo de Natação tem um custo e por isso
precisamos de si para continuar a trabalhar e fazer melhor.
Torne-se nosso assinante por apenas 12€ por ano e
tenha acesso a todos os conteúdos Premium.



Comentários