Mundial 2019 Dia 8 – Notas Breves

  •  
  •  
  •  

Finais:

50 Costas Masculinos:

Começamos a ultima sessão de finais do campeonato do mundo com o Sul Africano Zane Waddell a surpreender todos os outros finalistas e a vencer em 24.43. Esta vitória a fazer lembrar o seu compatriota Gerard Zhandberg quando em 2007, Melbourne, também venceu de forma surpreendente. O grande costista dos campeonatos, Rylov, a conseguir chegar ao segundo lugar com 24.49, subindo ao pódio em todas as provas do estilo de costas. Bronze para o actual recordista do mundo e fenómeno russo Kliment Kolesnikov com 24.51, longe da sua melhor marca. De fora do pódio o líder do ranking mundial Michael Andrew.

50 Bruços Feminino:

Lilly King dos EUA a confirmar o favoritismo revalidando o titulo em 29.84. No entanto o principal acontecimento da final é ver a atleta júnior de 14 anos Benedetta Pilato da Itália tocar na parede em 30.00 obtendo a medalhada e prata. Ela que nas eliminatórias baixou mesmo dos 30s e na final ameaçou levar o ouro, não fosse uma partida menos bem conseguida por parte da jovem nadadora. Bronze para Yuliya Efimova com 30.15, conseguindo desta forma estar presente no pódio em todas as provas de Bruços, arrecadando uma medalha de cada cor.

1500 Livres Masculinos:

Final espectacular na prova mais longa do calendário de natação pura com o pódio a ser uma repetição do europeu do ano passado. Paltrinieri liderou 1400 metros para ver depois os seus dois principais adversários passarem por ele nos últimos 100. Ouro para Florian Wellbrock da Alemanha com 14:36.54, juntando esta medalha ao ouro que tinha ganho nos 10 km em Águas Abertas. O alemão é, aliás, o primeiro da história a vencer os 1500 metros em natação pura e os 10km em Águas abertas no mesmo mundial. Prata para  Mykhailo Romanchuk da Ucrânia com 14:37.63 e bronze para Gregorio Paltrinieri com 14:38.75.

50 Livres Feminino:

Simone Manuel simplesmente não consegue perder. Tendo sido quase sempre assim desde os Jogos Olímpicos do Rio, e o hoje não foi diferente. Por mais que pareça que não é a favorita à vitória, e por vezes nem ao pódio, a nadadora americana acaba por arranjar maneira de chegar primeiro. Ouro para Manuel com 24.05, prata para Sarah Sjostrom com 24.07 e bronze para Cate Campbell com  24.11. Prova muito disputada que deixou a actual campeã olímpica Pernille Blume fora do pódio e em que se esperava um tempo na casa dos 23s para as primeiras.

400 Estilos Masculinos:

Por vezes há tendência em esquecer Daiya Seto quando se mencionam os principais nadadores japoneses muito por culpa da qualidade e hype que existe por trás de Rikako Ikie e Kosuke Hagino. A verdade é que Seto chega aqui ao seu 3º titulo mundial nesta prova, e é sempre medalhado em todas as grandes competições que participa, quase sempre com o ouro. E hoje, mais uma vez, o japonês foi o mais forte ao terminar com 4:08.95 à frente de Jay Litherland dos EUA com  4:09.22 e um surpreendente Lewis Clareburt da Nova Zelandia com 4:12.07. Em bom da verdade é preciso referir que esta não foi uma prova particularmente rápida quer no acesso à final, quer no acesso ao pódio. Aliás o anterior campeão mundial Chase Kalizs a ficar de  fora da final quando tem um recorde pessoal na casa dos 4.05.

 

400 Estilos Feminino:

A dama de ferro, Katinka Hosszu,, conseguiu confirmar o favoritismo e venceu com 4:30.39 o seu 5º titulo mundial nesta prova, depois de ter ganho o seu primeiro em 2009. Prata para uma renascida das cinzas, que nem fénix, Ye Shiwen da china com 4:32.07. A nadadora chinesa foi campeã olímpica com uma prova de outro mundo em 2012 quando tinha apenas 16 anos, não se conseguindo manter na elite de medalhadas da natação mundial nos anos seguintes. A fazer agora um comeback que pode fazer moça podendo estar a preparar-se para algo realmente extraordinário em Tóquio 2020. Bronze para Yui Ohashi do Japão com 4:32.3.

4×100 Estilos Masculinos:

Os EUA só tinham perdido esta prova em mundiais quando foram desclassificados. Nos últimos anos sentiu-se que a aura de invencibilidade americana nesta prova estava a desaparecer, com vitórias cada vez mais apertadas. Ninguém é invencível para sempre, e hoje foi o dia…o dia dos EUA finalmente serem derrotados nesta estafeta. A verdade é que se tudo tivesse decorrido dentro da normalidade os EUA o um trunfo como Caleb Dressel, teriam ganho esta prova com facilidade, mas Ryan Murphy abriu muito lento com um parcial de 52.9 a costas dificultando tudo para selecção americana. Dressel ainda fez o melhor parcial da história nos 100 Mariposa com 49.28 e a vitória parecia certa para a estafeta americana. Mas um ultimo parcial mediano de 47.6 por Nathan Adrian contra um parcial de outro mundo de Duncan Scott, que fechou em 46.1, selou a vitória o Quarteto Fantástico Britânico com 3.28.10, novo recorde Europeu. Prata para os EUA com 3:28.45 e excelente bronze para a Rússia com 3:28.81.

4X100 Estilos Feminino:

Ultima prova dos campeonatos e que prova. Os EUA tinham uma Reagan Smith em forma de super herói e aproveitaram isso mesmo no primeiro percurso da estafeta. A júnior americana abriu para novo recorde do mundo no parcial de costas com 57.57, retirando quase meio segundo ao anterior recorde que era 58.00. Mais outro recorde de outro mundo para esta super nadadora júnior. A partir daí não houve luta para o ouro com os EUA a aumentarem ainda mais a sua vantagem e a vencerem com novo recorde mundial 3:50.40. Forma brilhante de terminar uns campeonatos mundiais com 2 recordes do mundo numa só prova. Prata para a Austrália com 3:53.42 e bronze para o Canada  com 3:53.58.

 

Portugueses:

Mais duas posições de Top-16 para os nossos nadadores portugueses com João Vital a terminar os 400E em 14º lugar com 4.17.18 acima do seu recorde pessoal na casa dos 4.15. O nadador luso se tivesse repetido o seu recorde pessoal estaria a um pequeno passo de uma histórica final.

Ficou a cargo de Viktoria Kamiskaya a ultima participação portuguesa dos campeonatos, terminando em 15º com o tempo de 4.43.03 acima do seu recorde nacional na casa dos 4.40.

Mais de 10 mil leitores não dispensam o Chlorus.
Fazer jornalismo de Natação tem um custo e por isso
precisamos de si para continuar a trabalhar e fazer melhor.
Torne-se nosso assinante por apenas 12€ por ano e
tenha acesso a todos os conteúdos Premium.



Comentários