Mundial 2019 Dia 2 – Notas Breves

  •  
  •  
  •  

Finais:

100 Bruços Masculino:

Umas das finais mais esperadas não tivesse Adam Peaty estabelecido novo recorde mundial com uns absurdos 56.88. Na final ainda passou abaixo do recorde na primeira metade da prova, mas não conseguiu fechar tão rápido como ontem. Ouro para o inglês com 57.13. Reino Unido que consegue fazer a dobradinha com a prata de James Wilby com o excelente tempo de 58.46. Bronze para Yan Zibei com novo recorde da Ásia em 58.63.

100 Mariposa Feminino:

Novo dia, nova grande surpresa. Sarah Sjoestroem perde os 100 mariposa, prova em que é multicampeã mundial, campeã olímpica em título e actual recordista do mundo. A canadiana Margaret Macneil a fazer um tempo de outro mundo ao terminar em 55.83, perto do recorde de Sarah. A atleta de apenas 19 anos a fazer-se valer de uma viragem e percurso subaquático incríveis ultrapassando nos últimos 15 metros a favorita Sueca. Prata para Sjoetroem com 56.22 e bronze para a australiana Emma Mckeon com 56.61.

50 Mariposa Masculino:

Naquela que é a segunda prova mais rápida da natação, Caleb Dressel a vingar-se do 4º lugar de 2017 e a vencer com o incrível tempo de 22.35, muito próximo do recorde do mundo de Govorov de 22.27. O nadador americano estabelece um novo recorde das Américas e novo recorde dos campeonatos, vencendo com autoridade. Este tempo parece confirmar que aquilo a que vamos assistir nos 100 mariposa pode desafiar até os prognósticos mais optimistas. Prata para o russo Kostin com 22.70 e bronze para o veterano nadador de 39 anos Nicholas Santos com 22.79.

200 Estilos Feminino:

Quarto título mundial consecutivo nesta prova para a dama de ferro Katinka Hosszu. Após a eliminatória previa-se uma maior aproximação ao recorde do mundo mas atleta húngara acabou por vencer com facilidade em 2.7.53. Ressurgimento da atleta chinesa Ye Shiwen, campeã olímpica em 2012, que desde esses campeonatos nunca mais tinha feito um tempo de relevo ou ganho uma grande medalha internacional. Apesar de não ter batido o recorde pessoal leva a prata com 2.8.60 à frente da canadiana Sydney Pickrem com 2.8.70.

Meia-final notável do dia: Clyde Lewis a passar com o melhor tempo dos 200L para a final em 1.44.90. Em excelente tempo para o standard actual da natação mundial e algo surpreendente dado que o Australiano nadou numa das pistas de fora e melhorou em 1 segundo o seu recorde pessoal. Se repetir este tempo pode desafiar Sun Yang na disputa pela medalha de ouro.

Portugueses:

Gabriel Lopes nadou acima do seu recorde nacional nos 100 costas, terminando em 31º lugar com 55.33. Nos 200L Miguel nascimento a ficar longe do seu recorde nacional terminando em 37º com 1.49.71. Nos 1500 Livres feminino Diana Durães a fazer um tempo semelhante ao seu melhor registo época terminando em 18º com 16.30.67. Na mesma prova, Tamila Holub a fazer a primeira classificação de Top-16 neste mundial para a natação pura ao terminar no 16º posto com 16.29.57.

Organização:

Nota muito negativa para a organização que tem repetido partidas atrás de partidas, causando desconcentração e descontentamento entre os nadadores. Em todos os meus anos de nadador ou a acompanhar natação nunca tinha visto tantos problemas com partidas num campeonato desta dimensão. Nas provas de costas têm sido sucessos os problemas com as plataformas móveis e nas restantes provas a quantidade de vezes que o árbitro já mandou sair do bloco para reiniciar a partida é inaceitável.

Mais de 10 mil leitores não dispensam o Chlorus.
Fazer jornalismo de Natação tem um custo e por isso
precisamos de si para continuar a trabalhar e fazer melhor.
Torne-se nosso assinante por apenas 12€ por ano e
tenha acesso a todos os conteúdos Premium.



Comentários