Marco Vantaggiato: “Quem nada tem uma alma diferente”

  •  
  •  
  •  

Marco Vantaggiato, italiano radicado em Portugal, é presidente do Clube de Natação do Litoral Alentejano e um amante das águas abertas. Vencedor de inúmeras provas da mesma disciplina, o nadador master esteve à conversa com o Chlorus e conta-nos a sua experiência como atleta e o que pensa do nosso país. Vai nadar a 12 de setembro no Madeira Island Ultra Swim a prova de 10km.

Como e quando começaste esta modalidade?

Comecei a nadar relativamente tarde, com 8 anos na natação pura até aos 14. Aos 15 passei para o polo aquático, representando a equipa da minha cidade, o Lecce, na terceira divisão italiana. Com a faculdade, fiquei afastado dos desportos aquáticos por um tempo, até voltar como master por volta dos 30 anos.

Há quantos anos estás em Portugal?

Estou em Portugal desde 2013, quando fui convidado para um novo projeto industrial na área de Sines, projeto do qual ainda hoje faço parte. Desde o princípio adorei o vosso país, não só pela sua beleza natural, tanto quanto pelas pessoas (com menção especial para os amigos do CNLA). A minha integração e da minha família foi rápida, muito devido à forma como fomos acolhidos e ajudados. Gostámos assim tanto, que decidimos pedir a cidadania portuguesa e estamos atualmente no processo para recebê-la.

O que difere os treinos na Itália e em Portugal?

Não notei grandes diferenças na parte água. O que difere é mais o treino fora da água, pelo menos em Sines.

Natação pura ou águas abertas? Porquê?

Águas abertas, sem dúvida! Adoro o mar, o seu cheiro. Gosto da imprevisibilidade das condições, de definir estratégia de prova, conforme as condições climatéricas. É muito mais divertido, que olhar uma linha no chão de uma piscina. As provas são mais conviviais, todos os nadadores partem ao mesmo tempo, somos todos mais descontraídos, a meu ver representa mais o espírito master. 

Quantas vezes treinas por semana? Tens alguma preparação física?

Normalmente treino água quatro vezes por semana. Infelizmente, devido ao trabalho, não tenho tempo suficiente para fazer mais.

Outro desporto que não seja natação?

Não tenho tempo para praticar outros desportos, mas gosto de todos, com certeza o que gosto mais é ver os meus filhos a praticar, o Federico joga futebol e o Tommaso faz ginástica.

Qual o momento na tua carreira master que te emocionou mais?

O quarto lugar nos 3Km no Mundial de águas abertas do ano passado na Coreia, o quarto lugar nos 5km no Europeu na Eslovénia em 2018, onde o pódio escapou por poucos segundos, após uma prova sempre no pelotão da frente. Estava com fé de melhorar estes resultados no Europeu em Budapeste antes do anulamento, mas vou tentar novamente para o ano!

Que conselho darias aos atletas que acreditam na natação master?

Divertir-se sempre, uma boa parte dos meus melhores amigos pertencem ao mundo da natação, quem nada tem uma alma diferente!

Mais de 10 mil leitores não dispensam o Chlorus.
Fazer jornalismo de Natação tem um custo e por isso
precisamos de si para continuar a trabalhar e fazer melhor.
Torne-se nosso assinante por apenas 12€ por ano e
tenha acesso a todos os conteúdos Premium.



Comentários