João Pedro Sousa: “Faço o que gosto e a paixão pela modalidade é única”

  •  
  •  
  •  

João Pedro Sousa, atleta master do Clube Naval do Funchal, irá participar na prova de 30km do MIUS 2020. Em entrevista ao Chlorus, o nadador revela estar a treinar afincadamente para esta prova com “três treinos de água por semana, duas corridas e ao sábado treino no mar”.

Como e quando começaste esta modalidade?

Comecei esta modalidade por arrasto familiar, pela minha família paterna estar ligada à modalidade desde os tempos em que meu avô foi treinador de natação do Clube Sport Marítimo, meu pai nadador e treinador do clube, o que me levou a iniciar com os meus 4 anos nas Escolas do Clube Sport Marítimo, pelo treinador e professor André Escórcio.

Natação pura ou águas abertas? Porquê?

Quase não consigo separar a natação pura das águas abertas, porque faço o que gosto e a paixão pela modalidade é única. Tenho uma pequena preferência pelas águas abertas, pelo facto de que tudo é possível em mar, a liberdade, os momentos são muitos e variados, ou seja, do “nada” tudo muda.

Quantas vezes por semana treinas? Tens alguma preparação física?

Em tempo de preparação para um desafio e objetivo, treino todos os dias, exceto ao domingo que aproveito e dou a minha corrida. Neste mês de junho, para iniciar para a prova MIUS a 12 de setembro, estou a fazer 3 vezes por semana treino de água, corrida duas vezes por semana, ao sábado treino no mar e domingo descanso.

Outro desporto que não seja natação?

Faço como preparação para a natação, quando posso, provas de atletismo, triatlo em estafeta, aquatlo e swim run.

Qual o momento na tua carreira master que te emocionou mais?

O momento na minha carreira master que me emocionou mais a nível pessoal foi nos campeonatos do Mundo de Masters em Budapeste, em que melhorei imenso os meus tempos pessoais e fez-me acreditar que tudo é possível, quando nos dedicamos e acreditamos no que traçamos como objetivo ou desafio. E o outro foi na Coreia do Sul, quando fiquei em sexto lugar nos 200 estilos e fui ao pódio. A nível geral foi ver a prova da minha irmã, Susana Gomes, na conquista da medalha de ouro nos 100 mariposa.

Que conselho darias aos atletas que acreditam na natação master?

O conselho que dou aos atletas de natação masters é que façam da modalidade um exemplo de vida saudável, “nada” é impossível e divirtam-se.

 

Mais de 10 mil leitores não dispensam o Chlorus.
Fazer jornalismo de Natação tem um custo e por isso
precisamos de si para continuar a trabalhar e fazer melhor.
Torne-se nosso assinante por apenas 12€ por ano e
tenha acesso a todos os conteúdos Premium.



Comentários