Ex-nadadora e refugiada síria detida na Grécia

  •  
  •  
  •  

A polícia grega anunciou ter desmantelado uma “rede criminosa” de ajuda à imigração ilegal, implicando 30 elementos de uma Organização Não Governamental (ONG) ativa na ilha de Lesbos, principal porta de entrada de migrantes na Grécia, entre as quais a refugiada síria e ex-nadadora de 23 anos, Sarah Mardini, que beneficia de uma bolsa numa universidade privada em Berlim.

A irmã de Sarah, Yusra, é conhecida por ter participado nos Jogos Olímpicos do Rio 2016, na equipa de atletas refugiados.

Um ano antes, as duas irmãs usaram as suas qualidades como nadadoras para puxar o barco que as trouxe da Turquia com outras 18 pessoas.

“Elas não fizeram nada de mal, ajudaram simplesmente os outros por idealismo”, declarou à AFP o treinador de Yusra, Sven Spannekrebs”, acrescentando se deslocou a Lesbos há algumas semanas, onde os voluntários fazem, segundo disse, “um trabalho muito bom”.

O treinador afirmou que Sean Binder e Sarah Mardini são “voluntários de longa data da ONG ERCI” e que jamais fizeram parte “de atividades ilegais”, contrariamente ao que “sugerem as autoridades”.

Mais de 10 mil leitores não dispensam o Chlorus.
Fazer jornalismo de Natação tem um custo e por isso
precisamos de si para continuar a trabalhar e fazer melhor.
Torne-se nosso assinante por apenas 12€ por ano e
tenha acesso a todos os conteúdos Premium.



Comentários