Camargo e companhia afundam “tubarões” de Paços

  •  
  •  
  •  

O Vitória iniciou esta ronda com um triunfo frente ao Aquático Pacense vencendo por uns expressivos 25-7. O Fluvial Portuense conquistou uma vitória importantíssima frente ao seu adversário direto, Paredes, pela margem mínima de 10-9. A sul, o Sporting confirmou o favoritismo e derrotou a formação do Cascais por 17-5.

Na passada sexta-feira, em jogo da 1.ª jornada em atraso, o conjunto campeão nacional demonstrou a sua superioridade frente ao Aquático Pacense. A formação comandada pelo treinador Francisco Noronha ia à procura dos três pontos e queria aproveitar a ausência do principal guarda-redes Carlos Gomes para surpreender o adversário, mas cedo ficou demonstrado que o Vitória não iria facilitar.

O conjunto da cidade berço começou a partida muito bem, com uma pressão alta, não deixando a formação do capital do móvel definir o seu jogo. Com muitos erros defensivos por parte da equipa de Paços de Ferreira, a formação vitoriana começou o jogo a vencer por 6-0 e nunca mais parou de marcar.

O CAP ainda tentou demonstrar um ar da sua graça no segundo e terceiro parciais. Mais coesos, definiam melhor na sua defesa e ofensivamente iam criando mais perigo, mas esbarraram contra uma autêntica “fortaleza”: Uma exibição categórica do jovem guarda-redes Pedro Camargo, de apenas 16 anos, que com múltiplas intervenções e defesas de alto nível deu tranquilidade à sua equipa e fez esquecer o internacional português Carlos Gomes.

O Vitória, com todo o seu poder ofensivo, manteve-se estável e tranquilo, e num jogo de sentido único acabou por vencer facilmente os “tubarões” pacenses por 25-7.

No jogo grande da jornada, o Fluvial Portuense precisava de vencer para manter as aspirações de passar à próxima fase em aberto.

Com equipas muito equilibradas, a jogar a 30 metros, previa-se que o sistema defensivo e a capacidade física pudessem ser a chave para o desbloqueio do jogo. E assim foi.

O grupo do Vale do Sousa, sem a experiência de Diogo Ferraz e sem o esquerdino Xavier Sousa, entrou melhor na partida e através do seu outro lateral direito, José Saraiva, colocou-se na frente do marcador e chegou a estar a vencer por uma diferença de dois golos.

O jogo ia bastante equilibrado, mas com uma intensidade não muito alta, onde as equipas se tentavam encaixar uma na outra e esperavam um erro adversário.

No início do segundo período, o treinador Alfonso Merino mudou a sua defesa para pressão e a partir daí o Fluvial deu o salto para a frente. No entanto, Afonso Silveira, que fez toda a sua formação no conjunto de Lordelo do Ouro, marcou um golo importante frente à sua ex-equipa, mantendo as aspirações paredenses em alta.

No terceiro e quarto período, o jogo ficou pautado pelo cansaço visível e jogo partido, mas sempre muito equilibrado. O Fluvial Portuense, com inúmeros “+1” falhados, fez valer um bom sistema defensivo que acabou por dar uma vitória fundamental pela margem mínima.

A sul, a jovem equipa do Cascais recebeu o Sporting, precisamente na piscina de Alvalade. No primeiro parcial, a formação de Cascais ainda se conseguiu bater de igual para igual, mas a partir do segundo período, o conjunto leonino, com mais experiência, começou a dilatar a vantagem e acabou por controlar o resto do jogo que acabou por vencer por 5-17.

O Vitória de Guimarães mantem-se líder invicto na primeira posição. Segue-se Aquático Pacense, Paredes e Fluvial Portuense em luta pela segunda posição (Aquático Pacense com mais um jogo). Por fim, vem o Naval Povoense que folgou esta semana.

A Sul, Algés é líder também sem derrotas e já carimbou a passagem à próxima fase a par do Vitória. Segue Sporting com uma vitória e Cascais, só com derrotas, é último classificado.

19/3

VSC-CAP (Piscinas Municipais de Guimarães)
Parciais: 6-1; 6-1; 6-4; 7-1
Resultado Final: 27-7

20/3

CFP-SSCMP (Piscinas do Clube Fluvial Portuense)
Parciais: 3-3; 4-3; 1-2; 2-1
Resultado Final: 10-9

CWP-SCP (Piscinas de Alvalade)
Parciais: 2-4; 1-3; 1-4; 1-6
Resultado Final: 5-17

Mais de 10 mil leitores não dispensam o Chlorus.
Fazer jornalismo de Natação tem um custo e por isso
precisamos de si para continuar a trabalhar e fazer melhor.
Torne-se nosso assinante por apenas 12€ por ano e
tenha acesso a todos os conteúdos Premium.



Comentários