A touca de ouro vai para…

  •  
  •  
  •  

Começou o Campeonato Mundial de natação que, este ano, se disputa em fevereiro e em ano de Jogos Olímpicos. Num passado “recente” tivemos, em 2007, campeonatos mundiais a serem realizados no mês de março. Nesse ano foi uma competição memorável que atraiu todas principais estrelas do mundo da natação, visto se tratar do ano anterior aos Jogos olímpicos de Pequim, representando também uma das primeiras oportunidades de qualificação olímpica.

Neste pequeno parêntesis histórico, dizer ainda que a estrela da competição foi um tal de Michael Phelps que levou para casa sete medalhas de ouro e vários recordes mundiais, incluindo o recorde do mundo dos 200L que à data era do também lendário Ian Thorpe…

A escolha de fevereiro para realização desta competição em 2023 acabou por afastar alguns dos principais atletas por estarem em períodos importantes de preparação para os trials dos seus países ou mesmo para os Jogos Olímpicos de Paris, no caso de já terem a qualificação garantida. Ainda assim, são vários os destaques deste campeonato pelo que tentarei atribuir diariamente, aos feitos que se destacarem, a touca de bronze, touca de prata, touca de ouro e touca de lata, reservando a touca de platina para o que de extraordinário for acontecendo ao longo da competição.

Desta feita, para o primeiro dia de campeonato:

Touca de Lata: Ahmed Hafnaoui

Nadador tunisino, que trocou recentemente a sua base de treino de Indiana para a Califórnia nos Estados Unidos, fica pelas eliminatórias nos 400L. Nadando 8 segundos acima do seu excelente recorde pessoal de 3.40, feito no ano passado, não foi além da 17.ª posição. A prestação acaba por ser particularmente preocupante depois de ter mudado de treinador e se tratar de um ano olímpico. Recorde-se que ele é campeão olímpico em título desta prova e tinha sido vice-campeão mundial em 2023.

Touca de Bronze: Angelina Köhler

A nadadora alemã bateu o seu recorde nacional na eliminatória, nadando pela primeira vez abaixo dos 57 segundos com 56.41. Na meia-final consegue baixar ainda mais o seu recorde nacional, nadando agora em 56.11, perfilando-se como principal candidata à medalha de ouro na final de amanhã. Para além disso há possibilidade real de entrar no restrito lote de atletas que já que já nadaram em 55 segundos.

Touca de Prata: Adam Peaty

Parece estar no bom caminho o regresso do nadador britânico à competição. Depois de dois anos atribulados, primeiro com uma fratura no pé e depois com problemas de saúde mental, a afastarem-no dos melhores resultados, Peaty surge como candidato forte ao ouro nos 100B.

Ele que nos últimos 12 meses não tinha baixado nenhuma vez dos 59 segundos, consegue o melhor tempo para a final com 58.60, sendo que Nick Fink será, provavelmente, o maior obstáculo a ultrapassar nessa luta pelo ouro.

Touca (s) de Ouro: Kim Woomin e Diogo Ribeiro

É impossível não premiar com a touca de ouro Kim Woomin que nadou uma prova de 400 livres com uma coragem enorme desde a partida. Assumiu a frente da prova desde início, chegando a ter mais de 2 corpos de avanço sobre os principais adversários. Não sendo um desconhecido para a comunidade, a verdade é que à partida não seria o principal candidato ao ouro. Mostrou que a coragem compensa, conseguindo aguentar o forte final de Elijah Winnington que teve de se contentar com a prata.

A outra touca de ouro só poderia ir para Diogo Ribeiro. Mais uma vez o super nadador português a fazer história ao tornar-se o primeiro nadador português de sempre com duas finais em campeonatos mundiais de piscina longa. Será um país inteiro a torcer amanhã por uma medalha portuguesa que todos desejamos que seja dourada. Força Diogo!

Touca de Platina: Pan Zhanle

46.80… recorde do mundo… SURREAL!

Créditos da foto: FPN/Simone Castrovillari

Mais de 10 mil leitores não dispensam o Chlorus.
Fazer jornalismo de Natação tem um custo e por isso
precisamos de si para continuar a trabalhar e fazer melhor.
Torne-se nosso assinante por apenas 10€ por ano e
tenha acesso a todos os conteúdos Premium.



Comentários