A problemática da tomada de decisões do treinador

  •  
  •  
  •  

Uma das partes mais importantes do trabalho de um treinador está muito relacionada com a problemática da tomada de decisões. É seguramente uma das funções do treinador mais difícil de desempenhar, pois a responsabilidade e implicações que podem ter são muito preciosas para o Alto Rendimento Desportivo. Decidir implica um juízo de valor de uma situação através da combinação de informação, raciocínio lógico e intuição.

Um treinador tem que tomar inúmeras decisões sobre aspetos muito diversos. Alguns destes aspetos estão intimamente relacionados com os fatores de que dependem o rendimento desportivo. Quando tomamos certas decisões sobre os diferentes aspetos, podemos em muitas situações equivocarmo-nos nas decisões, custando muito caro.

Alguns exemplos de aspetos ou fatores que configuram situações sobre as que temos de tomar decisões de este tipo podem ser: a captação e seleção de sujeitos para incorporarem um projeto desportivo de alto nível; a aplicação concreta de uma série de métodos e procedimentos dentro da sistemática do processo de treino desportivo (frequência de treinos, predominância geral do trabalho realizado, determinação de intensidades e volumes, individualização do trabalho, entre outros aspetos); modificação e ajuste de todo o referido no ponto anterior em função da evolução do rendimento e dos resultados gerais que se vão produzindo com cada desportista e grupo de trabalho; a necessidade de ações urgentes e às vezes drásticas no decurso das competições, como pode ser; e a necessidade de uma ação perante situações adversas de caráter geral (carência de desportistas com possibilidades, sentimento de falta de certa informação ou suficientes conhecimentos, falta de resposta adequada sobre problemas relacionados com instalações, equipamento, atuação rápida em emergências, lesões, acidentes, imprevistos.

As decisões sobre planificação das ações fundamentais e estratégias do processo de treino manifestam grande dificuldade e risco. Uma organização adequada do conjunto de atividades que rodeiam o desporto de alta competição, obrigam a desenvolver inúmeras decisões que necessitam ter uma adequada coerência, bem como ser continuamente muito consistentes no que diz respeito aos momentos e às situações. Nestas situações o treinador necessita de tomar decisões com a seguinte tipologia: estabelecer corretamente os objetivos, tendo em consideração as diferentes etapas do processo de treino e os resultados das competições; a programação das diferentes etapas do processo de treino; a programação dos diferentes controlos do processo de treino; e programação da participação em competições.

O conjunto de relações interpessoais que são próprias do desenvolvimento do treino desportivo dão lugar a inúmeras situações problema, em que devemos, enquanto treinadores, decidir rápido e bem é absolutamente necessário. Existem outras situações problema relativas às relações pessoais entre os desportistas e o grupo, onde se devem tomar decisões, tais como: recompensas e sanções; normas de comportamento individual e coletivo; determinação do estatuto desportivo; relações entre os componentes do grupo; componentes da equipa técnica e de apoio; órgãos federativos ou institucionais que têm competência sobre o projeto desportivo em questão; meios de comunicação social; compatibilidade e prioridades entre a vida familiar e o treino desportivo.

Após concluir o processo sistemático da tomada de decisão é-nos possível concluir que se trata de uma das tarefas mais utilizadas pelos treinadores. Daí a sua importância dentro das tarefas que o treinador desenvolve no seu dia-a-dia, uma vez que são inúmeras as decisões tomadas em todo o processo de treino desportivo, umas de forma programada e outras bem mais complicadas de tomar, que são as não programadas. Estas últimas encaram-se como uma grande dificuldade para os treinadores, uma vez que se cria uma grande indefinição quanto à escolha da decisão certa. Não podemos encarar o processo de tomada de decisões de uma forma pouco séria e leviana, pois poderemos ter alguns dissabores no resultado imediato e a longo prazo das consequências de cada decisão tomada.

Muitas vezes tomamos decisões de forma intuitiva sem medir as várias possibilidades, bem como os prós e contras de cada uma delas, e, sem mesmo estudar como, quando e o que dizer para que as compreendam e que se atenuem os efeitos nefastos que uma qualquer decisão trás consigo.

Apesar de podermos continuar a cometer erros na seleção das decisões a tomar, que nos pareçam adequadas, seguindo este processo sistemático da tomada de decisão, a possibilidade de os cometer é menor, e mesmo quando escolhemos mal, pelo menos temos consciência desses mesmos erros.

Mais de 10 mil leitores não dispensam o Chlorus.
Fazer jornalismo de Natação tem um custo e por isso
precisamos de si para continuar a trabalhar e fazer melhor.
Torne-se nosso assinante por apenas 12€ por ano e
tenha acesso a todos os conteúdos Premium.



Comentários