2024 é de longe o melhor ano de todos dos tempos da natação portuguesa

  •  
  •  
  •  

Decorreu durante a última semana o Campeonato da Europa da natação em que Portugal se fez representar com quatro atletas na disciplina de natação pura.

Neste campeonato foram vários os destaques nacionais e internacionais, por isso decidi fazer uma edição especial Europeu, de atribuição de toucas de mérito como fiz para o campeonato de mundial de desportos aquáticos em fevereiro em Doha.

Touca de Bronze: Grécia

A seleção grega apresentou-se em grande nível neste Europeu, conseguindo mesmo o segundo lugar do medalheiro com um total de 17 medalhas, sendo 5 de ouro. É certo que algumas potências da natação europeia não enviaram nadadores (Itália, França e Reino Unido), mas ainda assim é um resultado de destacar por parte da seleção grega que chegou mesmo a conseguir 2 medalhas por atletas diferentes na mesma prova, como nos 50 metros livres ou nos 100 metros costas masculinos.

É importante realçar que algumas marcas dos nadadores gregos podem mesmo fazer moça nos Jogos Olímpicos, em particular na prova dos 100 metros costas com o atleta Apostolo Christou. O grego foi medalha de ouro com o tempo de 52.23 e apresenta-se como sério candidato a uma medalha olímpica dentro de 5 semanas.

Touca de Prata: Barbora Seemanova (Chéquia)

Obteve a marca mais valiosa da competição por parte de uma nadadora com o seu tempo na prova dos 200 metros livres. Esteve em particular evidência pelo nível apresentado em várias distâncias, mostrando grande versatilidade, uma vez que foi campeã dos 100 e 200 metros livres e conseguiu ainda a medalha de prata nos 400 metros livres. Na prova dos 200 metros, a sua marca parece ter nível suficiente para lutar por uma final olímpica em Paris.

Touca de Ouro: David Popovici (Roménia)

Se havia dúvidas em relação a uma das maiores estrelas da natação mundial, então todas essas dúvidas se dissiparam com este campeonato. Popovici regressa ao nível galáctico que apresentou no Europeu de 2022, sendo campeão na prova dos 100 metros livres com o incrível crono de 46.88, obtendo também a medalha de ouro na prova de 200 livres com espetaculares 1.43.13. Em ambas as provas fez as suas segundas melhores marcas de sempre, sendo que nos 100 metros livres ficou a 2 centésimos de segundo do seu recorde europeu e a apenas 8 centésimos de segundo do recorde mundial. A prova dos 100 metros livres, nos jogos olímpicos de Paris, é talvez a mais antecipada do calendário olímpico com o duelo entre o nadador romeno e o Pan Zhanle, da China, a captar toda a atenção da natação mundial.

Nos 200 metros livres ficou a escassos centésimos do seu recorde pessoal de 1.42.97. Nesta prova, o seu recorde pessoal é atualmente mais de 1 segundo mais rápido que os recordes pessoais dos seus adversários em Paris, o que o coloca em grande posição para obter o ouro Olímpico.

Touca de Platina: Francisca Martins (Portugal)

Grande momento para a natação portuguesa, e em especial para Francisca Martins com a obtenção de uma histórica medalha de bronze nos 400 metros livres. A nadadora portuguesa já tinha conseguido um excelente 4.º lugar na prova dos 800 metros livres, mas tinha ficado a uns angustiantes 4 centésimos de segundo do pódio. No último dia de competição consegue uma magnifica medalha de bronze na prova mais curta. Faltou apenas a cereja no topo do bolo com a obtenção do mínimo olímpico que era o principal objetivo da nadadora portuguesa. Ainda assim sai deste Europeu com muitos motivos para sorrir, uma vez que entra no lote muito restrito de nadadores portugueses que obtiveram uma medalha em campeonatos europeus de piscina longa a nível sénior.

Parabéns Francisca!

Touca Diamante: Camila Rebelo (Portugal)

INCRÍVEL!

O principal destaque deste Europeu para a natação portuguesa é sem dúvida Camila Rebelo. 2024 é de longe o melhor ano de todos dos tempos da natação portuguesa. Depois dos sucessos de Diogo Ribeiro no campeonato do mundo em fevereiro, Camila Rebelo torna-se a primeira campeã da europa em natação, superando a prata de Alexandre Yokochi em 1985. Que momento inacreditável para a nadadora portuguesa, e para Portugal, que faz uma marca de classe mundial com o seu novo recorde nacional de 2.08.95. Já não é um sonho, mas sim um objetivo, lutar pela final olímpica em Paris. A última viragem foi absolutamente arrasadora e a sua garra no final permitiram um título histórico para a natação portuguesa. Que orgulho poder ouvir pela terceira vez em 2024 “A Portuguesa” na cerimónia de entrega de medalhas.

Parabéns Camila! Venham os Jogos!

Mais de 10 mil leitores não dispensam o Chlorus.
Fazer jornalismo de Natação tem um custo e por isso
precisamos de si para continuar a trabalhar e fazer melhor.
Torne-se nosso assinante por apenas 10€ por ano e
tenha acesso a todos os conteúdos Premium.



Comentários